segunda-feira, 15 de julho de 2013

Helder desmente padre Luis Gonzaga e diz que não demitiu médicos em Morretes


Aderindo a onda de manifestações que ganharam as ruas e avenidas de todo o país, liderada pelo Padre Luis Gonzaga Pires, a população de Morretes realizou uma manifestação pública n dia 26 do mês passado, clamando por mais saúde, justiça e dignidade.   

Entre os diversos cartazes que os morretenses levaram na manifestação, muitos deles cobravam o prefeito Helder Teófilo dos Santos (PSDB), o grave problema da saúde e criticavam-no pela dispensa de quatro médicos que atuavam no Programa Estratégia Saúde da Família (ESF) que acabou desativado e de unidades básicas de saúde da cidade. Alguns cartazes pediam o retorno dos médicos Schmidt e Ana Paula.  

Diante da Câmara de Vereadores, o padre Luis Gonzaga, fez um discurso inflamado, cobrando trabalho dos vereadores e ressaltou que a Diocese de Paranaguá e o Bispo Dom João Alves dos Santos apoiavam o momento popular feita na cidade.

A concentração ocorreu diante da igreja matriz de Nossa Senhora do Porto, a partir das 18 horas e ganhou as ruas da cidade em direção a Prefeitura Municipal e Câmara de Vereadores. Cerca de 150 pessoas, divididas entre crianças, estudantes, adolescentes, adultos e idosos, além de famílias inteira e até mesmo bebê de colo, pintaram os rostos de verde e branco, levaram bandeiras, do Brasil, faixas e cartazes com reivindicações e críticas a administração atual, a maioria delas, voltadas contra a saúde.

Ao lado padre Luis Gonzaga, o presidente do Conselho Municipal de Saúde de Morretes, chamavam a população para ir às ruas. Segundo o presidente, a cidade está sem médico para atender o ESF e os postinhos de saúde. “Já emitimos um ofício ao prefeito municipal e ele disse; “nós vamos resolver o problema”. Só que já faz 15 dias que estamos sem médico da família e sem médicos no postinho, então recorremos a manifestação e a Câmara de Vereadores e estamos aguardando. Está aí o povo e o povo quer resposta”, disse o presidente.

Chamado pelos vereadores para falar sobre o movimento na tribuna da Câmara de Vereadores, o padre reforçou a cobrança da população sobre a saúde e os médicos. “Num país que falta médico, Morretes dispensou o médico, num país que falta dinheiro, Morretes devolveu R$ 4 milhões”, disparou o padre.


O que disse o prefeito Helder

A reportagem do JB enviou mensagem para assessoria de imprensa do prefeito Helder, para saber os motivos da dispensa dos médicos informados na manifestação e pelo padre Luis Gonzaga na tribuna da Câmara, além da situação da saúde na cidade. Em sua resposta, o prefeito desmentiu, de forma taxativa, o padre e os cartazes da manifestação que foram fixados no prédio da Câmara. Ela afirmou que ninguém foi demitido. No caso dos dois médicos que atuavam nos postos de saúde, a prefeitura disse que não foram demitidos. Eles tinham contrato firmado em dezembro de 2012, com término em 11 de junho deste ano. Na última quarta-feira a reportagem do JB esteve no posto de saúde que fica na Secretária de Saúde, no período da tarde, e observou que os médicos Humberto e Dilberto, atenderam apenas 23 senhas pela manhã, 11 o primeiro e 12 o segundo. Porém, as atendentes informaram que naquele período não havia médico e que somente na sexta-feira haveria médico no posto. Questionado o que deveria fazer um morretense, caso alguém de sua família ficasse doente no período da tarde, o prefeito, mais uma vez, foi taxativa “Se dirigir ao Hospital, o qual conta com plantão médico 24 horas”. Questionado ainda como está sendo feito o atendimento básico e emergencial da população, mais uma vez, a prefeitura disse que está sendo feito através do atendimento do Hospital, plantão 24 horas.

Sobre as soluções que a prefeitura busca para contratar médicos e suprir a demanda de atendimento básico, o prefeito explicou que está buscando e trabalhando incansavelmente na procura de médicos. “Já divulgamos em grandes hospitais como HC, Evangélico, Angelina Caron e outros, inclusive no próprio CRM (Conselho Regional de Medicina. Também abrimos o credenciamento que está disponível na página da Prefeitura de Morretes: www.morretes.pr.gov.br. Esperamos que com essas medidas resolveremos a essa situação”, disse o prefeito afirmando que a meta do Governo Federal é reativar o ESF de Morretes, de forma legal e transparente.

Questionado sobre sua opinião a respeito do movimento encabeçado pelo padre Luis Gonzaga, o prefeito disse desconhecer que a manifestação tenha sido encabeçada por ele. “Reconheço sim, um descontentamento nacional com relação ao Governo Federal, que decidiu investir em estádio faraônicos e permitir que a saúde, educação e segurança virassem um caos, uma falta de respeito com a população”, justificou o prefeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário