segunda-feira, 19 de novembro de 2012


CONCLUSÃO ERA PARA 2010

Obra no entorno do Aquário Marinho 
impedirá entrega para temporada 2012


No dia 5 fevereiro, o então secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, hoje, o deputado estadual do PV, Rasca Rodrigues, visitou o Aquário Marinho e anunciou a entrega da obra para setembro daquele ano. O que aconteceu mais de dois anos após, dia 25 de maio deste ano, pela  empresa Catallini Terminais Marítimos para com o Governo do Estado.
            Antes da entrega, em setembro do ano passado, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), em vista ao prefeito em exercício Fabiano Vicente Venet Elias (PSDB), visitou as instalações da obra do Aquário Marinho que estava em fase de conclusão e previu sua inauguração na temporada de verão de 2011/2012.
Na entrevista coletiva, Beto Richa disse que o Aquário Marinho “é uma belíssima obra, de qualidade”. “Vamos ter aqui uma diversidade marinha muito grande e isso vai representar um ganho para Paranaguá, para todo o litoral e para todo o Paraná, visto que no Estado não temos um aquário deste porte. É um dos maiores e mais modernos aquários do país e isso vai dar um grande retorno para Paranaguá, no aspecto turístico, educativo, ambiental e, inclusive científico. Fico feliz em ver essa obra que está na fase de conclusão e que possamos inaugurar já na próxima temporada”, destacou o governador. O que não aconteceu.
Na semana passada, uma equipe de arquitetas da Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral, juntamente com arquitetos da Secretaria Municipal de Planejamento e o Secretário Municipal de Serviços Urbanos, Rodolpho Hammerle Junior, estiveram na Câmara de Vereadores, o projeto urbanístico para o entorno do Aquário Marinho que será realizado com recursos do Governo do Estado.    
O anteprojeto de lei quer do município, a concessão, por um período de 20 anos, da área de 14 mil metros quadrados que corresponde todo o entorno do Aquário Marinho que precisa ser aprovado pelos vereadores. Depois de aprovado, a Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral dará início ao processo licitatório para a execução das obras que ocorrerão a partir de 2013. O que fará com que o Aquário não seja usado na próxima temporada.
Na apresentação feita na sessão da Câmara, a equipe técnica da Secretaria de Planejamento do Governo Estadual e secretários municipais, os vereadores conheceram detalhes do projeto. As mudanças incluem a completa demolição do Mercado do Peixe e do Mercado das Ostras. Alem disso, os estabelecimentos comerciais (lanchonetes), que estão nas proximidades do aquário, serão realocados para o interior da futura instalação do novo mercado do peixe. No local do Mercado das Ostras, o projeto urbanístico descreve a intenção de se construir uma moderna Estação Náutica, que atenderá o embarque e desembarque das linhas de barcos rotineiras e do turismo embarcado do litoral.

Permissionários continuam

Os vereadores Marquinhos Roque (PMDB) e Rafael Guttierres Junior (PR) se mostraram preocupados com a situação dos permissionários e das empresas que realizam o transporte aquaviário na cidade e cobraram sua permanência no novo projeto do entorno do Aquário Marinho.
Presente na sessão, o secretário de Serviços Urbanos, Rodolpho Hammerle Junior  garantiu que os permissionários dos boxes do atual Mercado do Peixe não serão prejudicados com o projeto de reurbanização do entorno do aquário. Segundo ele, todos ocuparão os boxes que serão construídos no novo mercado do peixe. “Não haverá processo licitatório para a ocupação dos novos boxes, uma vez que a quantidade será idêntica à atual e servirá para realocar os permissionários que já fazem uso do mercado do peixe e das lanchonetes  próximas”, explicou. No entanto, o secretário avisou que os permissionários que não estiverem em dia com os impostos municipais não serão privilegiados com a relocação e sugeriu que os débitos com a prefeitura sejam regularizados no menor prazo possível. Da mesma forma, a equipe do Governo do Estado assegurou que as empresas Abaline e Barcopar também serão mantidas no serviço de transporte que já realizam na cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário