domingo, 4 de março de 2012

PATRIMÔNIO PÚBLICO ESQUECIDO




Desativado por Requião e sem manutenção pelo Appa, prédio da ACAP continua ocioso


Entidade que representou esperança e oportunidade de crescimento para crianças carentes da região da Vila Portuária e Becker, a Associação de Criança e Adolescente de Paranaguá (ACAP) foi desativada na gestão de Roberto Requião e, desde então o projeto social desenvolvido por voluntários jamais foi retomado.
Sem assistência social, o prédio que pertence a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) jamais recebeu qualquer tipo de manutenção até outubro de 2006, quando a Appa cedeu as instalações para funcionamento provisório do colégio Escola Estadual Maria de Lourdes Morozowski, atendendo solicitação do Núcleo Regional de Paranaguá.
Com o retorno do colégio para as novas instalações, mais uma vez, o prédio voltou ficar ocioso, situação que se encontra até hoje. Da mesma forma que na gestão anterior, passado mais de um ano da atual gestão superintendente Airton Maron, a última manutenção feita no prédio pela Appa foi uma roçada no interior das instalações e parte da calçada neste mês.
Até o dia 10 de janeiro uma verdadeira “floresta” estava em franco crescimento tanto na parte interna do prédio como na calçada.Todavia, o prédio continua deteriorado, sem janelas, sujo, pinturas desgastadas, entre outros problemas.
Vale lembrar que enquanto estava ativa a ACAP tinha uma importância fundamental na sociedade e seu trabalho era reconhecido por todos os segmentos.
A entidade chegou ser alvo de uma queda de braço entre o prefeito Carlos Antonio Tortato (PT) e a Câmara de Vereadores em 1996, ao conseguir recursos na ordem R$ 70 mil reais de julho a dezembro, por força da Lei Promulgada nº. 296/96, sancionada pelo então presidente da Câmara de Vereadores, Alceu Maron.
A atenção dedicada pela Appa ao prédio é a mesma voltada para as vias de acesso ao porto Dom Pedro II que ficou sem nenhuma manutenção ao longo do ano de 2011. A safra paranaense está sendo escoada por uma Avenida Bento Rocha com diversas crateras ao longo de sua extensão e um perigo para caminhoneiros e motoristas residentes na cidade.
Nesta semana a reportagem do JB irá procura a Appa para saber qual o destino que será dado ao prédio da ACAP e quando este prédio público receberá uma reforma em todas suas instalações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário