sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Carretas da RPM levam caos para o trânsito na região do conjunto Belmar


A frágil camada de asfalto das estreitas ruas Tertuliano da Cruz Santos e Alzira de Andrade Dutra na região do conjunto residencial Belmar no Parque São João não foram colocadas para suportar o peso das enormes carretas que empresa RPM Logística e Transportes mantém estacionadas na via pública e num pequeno terreno localizado ao lado de uma rua projetada ainda sem nome.

Preocupado com o perigo que se tomou conta da região, o presidente da Associação de Moradores do Parque São João I, Mário Ebres dos Santos expôs a situação para o vereador Rafael Gutierres Junior (PDT) que foi verificar pessoalmente o caos que a movimentação de carretas tem provocado ao bairro.

O líder comunitário e o parlamentar estiveram na sexta-feira (5) e demostraram preocupação com a situação da Rua Projetada que ficou entre os dois terrenos da empresa RPM, um deles murado como determina a legislação municipal e outro aberto que está servindo como estacionamento das carretas.O vereador Rafinha adiantou que nesta semana entrará com o pedido para dar o nome de Travessa Belmar para esta rua Projetadae assegurar a manutenção da via pública.

Todavia, o trânsito na região ficou extremamente caótico pela movimentação das carretas da RPM obrigando veículos pequenos, motociclistas e ciclistas aguardarem pela manobra das carretas e poderem seguir seu destino. A carro da reportagem do JBfoi vítima desta movimentação e teve que esperar que duas carretas da RPM fizessem manobras para estacionar no terreno de sua propriedade ao lado da rua projetada para poder deixar o bairro.

A situação é pior na Rua Tertuliano da Cruz Santos que dá acesso aos conjuntos residenciais do Belmar I, II e III, uma vez que as carretas fazem daquela via pública estacionamento em ambos os lados da pista de rolamento.
Manilhas nos acessos

Para se defenderem do trânsito das carretas da RPM e de outras que costumam trafegar na região, moradores investiram na colocação de manilhas com pedra brita nos acessos das ruas projetas evitando que os caminhões consigam transitar pelas pequenas e estreitas ruas do bairro.

Nesta rua projetada que separa os dois imóveis da RPM, uma manilha foi colocada por um morador no acesso que vemda Rua Alzira de Andrade Dutra. Na próxima projetada, os moradores colocaram duas manilhas no acesso que vem da Rua Tertuliano da Cruz dos Santos. A moradora Eunice da Silva Machado (42) disse que o trânsito de carretas não pé permitido naquela região e, mesmo assim, são muitos os caminhões que trafegam e levam perigo aos pedestres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário