terça-feira, 28 de junho de 2011

Patrimônio histórico é prioridade virtual



A prefeitura de Paranaguá tem gasto muitos dos recursos públicos para divulgar conquistas de nossa cidade, entre elas, a inclusão da entre os 65 municípios indutores de turismo e o tombamento pelo Patrimônio Histórico nacional.

Duas conquistas fruto do mesmo, nosso patrimônio histórico. De certa forma, o tombamento foi uma conquista sem merecimento, pois desde o inicio desta gesta gestão em 2005, o patrimônio histórico nunca foi prioridade na administração José Baka Filho.

Quais obras foram feitas no sentido de preservação e manutenção dos casario, Mercado do Peixe, Fonte da Gamboa e Palácio Visconde de Nácar? Nenhuma. Não fosse a iniciativa do Governo Federal nem o Mercado de Artesanato teria sido revitalizado. O interesse que a administração municipal demonstra ao patrimônio histórico pode ser vista pela atual condição que se encontra o Palácio Visconde de Nácar.

O prédio que foi construído por volta de 1840 está abandonado, pixado, alvo de furto e com seu jardim transformado numa floresta. Não fosse uma reforma feita no prédio pelo vereador Antônio Ricardo dos Santos, quando de sua passagem pela presidência do Poder Legislativo onde o Palácio Visconde de Nácar servia de sede, hoje, o imóvel que foi sede do Governo da Província do Paraná no passado, poderia ter tido o mesmo destino do Centro Gastronômico conhecido como Ferradura.

Não sei quais os critérios que o IPHAN usou para fazer o tombamento da cidade, mas se fosse foi feita uma simples visita aos prédios históricos, certamente isso não teria acontecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário