terça-feira, 28 de junho de 2011

O pesadelo na inacessível casa própria



Político que não é sério e abraça vida pública pensando única e exclusivamente em multiplicar seu patrimônio à custa do erário público é fácil de identificar já na sua campanha eleitoral. As promessas sempre são aquelas que tocam fundo no anseio dos eleitores e que, mesmo desacreditando, a pessoa vota torcendo para estar enganada em sua opinião do candidato.

E quais são essas promessas? Três delas são praticamente obrigatórias para esses lobos revestidos de carneiros, construção de casas populares, geração de novos empregos e assistencialismo.

Entrando no mérito de apenas um das promessas, a do sonho da casa própria, lembramos que houve quem prometeu construir quatro mil casas populares em 2004 e, sem construir um puxadinho popular por quatro anos, repetiu a mesma promessa em 2008.

Faltando um ano e pouco menos de sete meses para encerrar o derradeiro mandato ainda não temos quatro mil casas populares construídas e tampouco entregues. Também no temos mil casas populares, mas graças ao Governo Federal e seu programa Minha Casa Minha Vida cerca de 300 pessoas estamos próximas de receberem a chave do seu lar doce lar.

Por sua vez, diante do perigo de uma explosão no Terminal de Álcool e das obras no Canal do Anhaia, alguns moradores estão por ganhar moradias populares um tanto quanto que obrigadas por parte do governo estadual e municipal.
Para 42 famílias moradoras do Canal do Anhaia o que era para ser um sonho está virando um pesadelo inacessível. As casas começaram em agosto e deviam ter sido entregues em fevereiro deste ano, mas há meses que a obra esta parada.

Mais uma vez, a máxima do quanto pior melhor prevalece na vida do eleitor que torceu para estar enganado, mas que, infelizmente, não se enganou.



Nenhum comentário:

Postar um comentário