terça-feira, 28 de junho de 2011

AS MELHORES DA COLUNA DQD de JB


Quem vai pagar a conta?
E aconteceu o óbvio na história do tal Aquário Marinho da Cattalini que o prefeito tem procurado capitalizar para sua gestão de tudo quanto é maneira. Mas é bom frisar, a obra é da empresa Cattalini e por conta de uma catástrofe como bem disse uma internauta no faccebook. A Cattalini não fez nenhum favor para cidade. Muito pelo contrário, o Aquário saiu barato para empresa que fez a transferência de multa ambiental por conta da explosão do navio Vicuña. Desde então, todo mundo ficou babando no Aquário e nem lembravam que haverá um custo enorme de manutenção (bota enorme nisto). E quem vai pagar a conta? A Cattalini fez sua parte, construiu e pagou seu débito ambiental e a manutenção pelo resto da vida de onde sairá a grana? Recentemente o assunto finalmente veio a tona numa reunião do Colit realizada em Guaratuba. Não tenho dúvida alguma que esta será o maior abacaxi que o próximo prefeito irá descascar a partir de 2013.


CPI do porto e do PMDB de Temer

Estou vendo muita empolgação dos 11 deputados que integram a CPI dos Portos para verdadeiramente apurarem as supostas irregularidades ocorrida nas gestões anteriores do PSDB, dos governadores Requião e Pessuti, ambos do PMDB, mesmo partido do vice-presidente da República Michel Temer. Como disse no blog está de volta a luta partidária entre as siglas mais fortes no país (PSDB x PMDB), juntamente com o PT da presidente Dilma. Não nos esqueçamos que no início do mandato de Richa, muito se falou de federalização do porto, ou seja, o porto voltar ao seu verdadeiro dono, a União. Assim sendo se a CPI, de fato, provar as irregularidades, comprovará que o Estado não administrou bem a delegação outorgada pela União, o que justificaria o inicio de toda essa briga, iniciada na gestão passada pelo próprio PSDB e DEM.
Assim, o que impediria o PT de usar este motivo, que é justo, para resgatar a federalização? Quem puder responder aguardo no e-mail.


R$ 2,50 e cadê as melhorias?
Desde que a passagem de ônibus ganhou preço de cidade de primeiro mundo como Curitiba (lá também é R$ 2,50) até agora ainda não vimos o retorno desta absurda tarifa. Onde estão as melhorias? E não falo de veículos novos não e sim de coisas mais simples, como funcionar direito o que já é ofertado pela Viação Rocio. Eis dois exemplos, a melhoria na qualidade dos ônibus adaptados, porque a situação de alguns deles têm garantido dor de cabeça ao jovem Luan do Jardim Esperança. Outro é a linha da Vila Nova Primavera, sempre nos horários das 06hs15, 06hs45, 07hs15 e 07hs45 a lotação é horrível e, no final do dia, eles costumam economizar no itinerário, além de tirar o cobrador ficando somente o motorista. Assim não dá.


Mercado novo contra os cadeirantes

Quando os permissionários trabalhavam no demolido “Ferradura” todos os Box podiam atender a todos indistintamente. Hoje, instalamos no novo Mercado Municipal eles não podem fazer a mesma coisa. O atendimento é feito somente para pessoas sem problemas de locomoção porque os cadeirantes estão proibidos de freqüentar a praça de alimentação dos andares superiores. E não se trata de uma lei não e sim de condições estruturais. Para ir até as lanchonetes somente pela escada lateral e aí como fazer para um cadeirante fazer um lanche na lanchonete de Tucano? Sem chances. Será que desde a inauguração ninguém pensou nisto? Porque será que nenhuma autoridade ou secretário teve essa preocupação com os cadeirantes e portadores de deficiência até agora? Onde está a sensibilidade deste pessoal?


Assim é fácil fazer social
Depois do aumento da passagem no final do ano passado, a Viação Rocio ganhou um novo presentão do prefeito José Baka Filho (PDT), a isenção do pagamento de uma tarifa social que vai ser bancada pelo Funtecom. Isso mesmo, a Viação vai fazer justiça aquele velho ditado de “bater continência com o chapéu alheio”. E os números falam por si mesmo. Lápis e papel na mão e vamos às contas. Antes do aumento, dos R$ 2,10 da passagem, R$ 0, 105 ia para o Funtecom e a Viação Rocio ficava com R$ 1, 995 para seus cofres. Era deste valor que ela tinha que garantir tarifas sociais. Pois bem com a passagem a R$ 2,50, vai para o Funtecom R$ 0, 125 e R$ 2, 375 fica com a empresa. Só que a nova tarifa social para pessoas carentes aprovada para o prefeito na quinta-feira vai ser bancada pelos R$ 0, 125 do Funtecom e não pelos R$ 2,73 da Viação Rocio. É mole! Assim é fácil fazer social.

O pesadelo na inacessível casa própria



Político que não é sério e abraça vida pública pensando única e exclusivamente em multiplicar seu patrimônio à custa do erário público é fácil de identificar já na sua campanha eleitoral. As promessas sempre são aquelas que tocam fundo no anseio dos eleitores e que, mesmo desacreditando, a pessoa vota torcendo para estar enganada em sua opinião do candidato.

E quais são essas promessas? Três delas são praticamente obrigatórias para esses lobos revestidos de carneiros, construção de casas populares, geração de novos empregos e assistencialismo.

Entrando no mérito de apenas um das promessas, a do sonho da casa própria, lembramos que houve quem prometeu construir quatro mil casas populares em 2004 e, sem construir um puxadinho popular por quatro anos, repetiu a mesma promessa em 2008.

Faltando um ano e pouco menos de sete meses para encerrar o derradeiro mandato ainda não temos quatro mil casas populares construídas e tampouco entregues. Também no temos mil casas populares, mas graças ao Governo Federal e seu programa Minha Casa Minha Vida cerca de 300 pessoas estamos próximas de receberem a chave do seu lar doce lar.

Por sua vez, diante do perigo de uma explosão no Terminal de Álcool e das obras no Canal do Anhaia, alguns moradores estão por ganhar moradias populares um tanto quanto que obrigadas por parte do governo estadual e municipal.
Para 42 famílias moradoras do Canal do Anhaia o que era para ser um sonho está virando um pesadelo inacessível. As casas começaram em agosto e deviam ter sido entregues em fevereiro deste ano, mas há meses que a obra esta parada.

Mais uma vez, a máxima do quanto pior melhor prevalece na vida do eleitor que torceu para estar enganado, mas que, infelizmente, não se enganou.



Servidor a hora é de defender seu salário

O servidor municipal que tem como salário-base o mínimo regional, no Dia do Trabalho, não recebeu absolutamente nada de aumento salarial do prefeito José Baka Filho (PDT), apenas a reposição de 6,31%.

O reajuste das tabelas salariais, defasada desde 2005 e a correção da data-data que a prefeitura não concede a dois anos, a prefeitura diz que não tem como pagar porque o limite prudencial já foi alcançado.

Ou seja, fato é que o servidor terá mesmo de se contentar com um aumento de 0%. A pergunta que se faz é quando a prefeitura reconhecerá o valor do trabalho do funcionalismo e dará um salário justo e de acordo com as leis vigentes ao servidor?

O sindicato da categoria tem lutado praticamente sozinho para tentar reverter este quadro e até ensaiou uma greve no ano passado, mas dos quase 4000 mil servidores, menos de 300 foram às ruas e subiram no caminhão para cobrar o que é seu de direito.
Como lutar pelos direitos de quem não se importa por eles?

O sindicato é uma arma de combate, mas é preciso a mão forte do servidor empunhando esta arma e fazendo uso dela. Com cerca de 50% da categoria recebendo o mínimo nacional como salário-base, este menos de R$ 0,50 de aumento soa como um desaforo e falta de respeito por quem permite que isso ocorra de forma passiva e sem nenhuma resistência.

Por essa razão é hora do servidor dizer sim ao seu sindicato e participar da Assembleia geral que acontecerá amanhã no Sindicato dos Ensacadores para discutir aquilo que é mais importante para você e sua família; o seu salário.

Afinal, prioridade para quem?


Na primeira gestão do prefeito José Baka Filho a população viu com bons olhos uma gestão que se voltou para suas prioridades e criou o projeto de educação em tempo integral que, mesmo não se enquadrando nos moldes legais, foi estendida para quase todas as escolas e, hoje, virou depósito de crianças no período de contraturno.

O que aconteceu?

A prioridade ganhou nova direção e pouco importa, hoje, a qualidade da merenda servida e a atividade levada às nossas crianças?

Da mesma forma, na primeira gestão foi feito um esforço concentrado na reforma das escolas e postos de saúde e, hoje, se vê escolas na mesma ou em pior situação da época que foram recebidas. E nos postos de saúde reformados, hoje, idosos são obrigados esperar atendimento dormindo no banco do lado de fora da Dona Baduca. O que aconteceu com a prioridade?

O JB mostra gastos que podem chegar a quase R$ 10 milhões onde o dinheiro público é gasto para garantir um IPTU errado e caro, equipamentos para fomentar a indústria da multa, uma fortuna para uma suspeita sinalização viária e um polpudo contrato de publicidade para dizer que tudo na cidade está uma maravilha.

Estes recursos dariam com sobra para construir 11 creches e 11 postos de saúde ou ainda 212 apartamentos populares. O que entendemos ser prioridade para a população. Assim sendo, hoje, a prioridade nesta gestai está voltada para quem?


O IPTU e a obra que não se vê


A propaganda do IPTU nos ônibus, jornais “oficiais”, pontos de ônibus entre outros lugares é bonita e a mensagem sugestiva, pois nos garante que o imposto garante a obra que vemos. Mas quais obras e onde elas estão?

O aumento absurdo do imposto foi bem real e todos não só vêem como terão de pagá-lo. Mas e as obras garantidas pelas propagandas onde estão? Recentemente vimos o chafariz da Praça da Marinha ser fechado por tapumes e, um mês depois de retirados, uma enorme placa anunciando a obra de número 468. Mas o que foi feito no chafariz se tudo está do jeito que era antes dos tapumes.

A obra de destruição do Palco Tutoia ainda não terminou e parece que de diversas cobranças do JB existe uma remota possibilidade de não acontecer, desta vez, o desperdício de dinheiro público diante de uma possível revitalização.

Vemos ruas precisando de uma simples pavimentação que não ocorre, mas o asfalto reforça o velho asfalto da Alameda Coronel Elísio Pereira. Ainda não vimos a prefeitura dar uniformes escolares para as crianças que entraram este ano na rede pública, apesar de que sua promessa de campanha foi de comprar todos os anos kits e uniformes escolares para os parnanguarinhas. Isto só aconteceu em 2008 e 2010, anos de campanhas eleitorais.

De fato, está difícil citar obras para tolerar o aumento e a desorganização generalizada do IPTU, mas no sábado vimos bem real na imprensa a publicação do edital de R$ 1.400.000,00 para despesas com propaganda, exatamente como esta do IPTU que circula por toda cidade.


Prata da casa valorizada


Depois de quase oito anos dos parnanguaras sendo obrigado ver pessoas de outras regiões que sequer sabem o que é um cabeço, finalmente um governador abre as portas para prata da casa administra o porto de Paranaguá. E não apenas a função de comando e sim diversas outras, onde o conhecimento e a convivência com a faixa portuária será um diferencial para resgatar a condição de segundo maior porto em importância no país.

A caravana curitibana que lotava Van e vieram aprender o que é um porto não mais atravessa o pedágio diariamente e, da mesma forma, não mais deixa os reais de seus cargos no comércio da capital. O parnanguara, ao mesmo tempo em que ganhou esta carta de confiança do governador Beto Richa, assumiu um compromisso com a competência de toda uma cidade. Ou seja, é preciso corresponder esta expectativa com resultados positivos.

De nada adiantará termos um porto administrado e trabalhado por parnanguaras que fique estagnado, ou pior ainda que retroceda.
É preciso provar com um trabalho de qualidade e com conhecimento que deveríamos mesmo conduzir nosso porto. Não podemos passar um atestado de incompetência empunhando a bandeira do bairrismo.

Por isso, mais do que corresponder a confiança do governador, esses muitos parnanguaras que estão no porto precisam provar que são competentes e justificar o que sempre dissemos, ninguém melhor que o parnanguara para administrar o porto de Paranaguá.

Por favor, não nos decepcionem.

Patrimônio histórico é prioridade virtual



A prefeitura de Paranaguá tem gasto muitos dos recursos públicos para divulgar conquistas de nossa cidade, entre elas, a inclusão da entre os 65 municípios indutores de turismo e o tombamento pelo Patrimônio Histórico nacional.

Duas conquistas fruto do mesmo, nosso patrimônio histórico. De certa forma, o tombamento foi uma conquista sem merecimento, pois desde o inicio desta gesta gestão em 2005, o patrimônio histórico nunca foi prioridade na administração José Baka Filho.

Quais obras foram feitas no sentido de preservação e manutenção dos casario, Mercado do Peixe, Fonte da Gamboa e Palácio Visconde de Nácar? Nenhuma. Não fosse a iniciativa do Governo Federal nem o Mercado de Artesanato teria sido revitalizado. O interesse que a administração municipal demonstra ao patrimônio histórico pode ser vista pela atual condição que se encontra o Palácio Visconde de Nácar.

O prédio que foi construído por volta de 1840 está abandonado, pixado, alvo de furto e com seu jardim transformado numa floresta. Não fosse uma reforma feita no prédio pelo vereador Antônio Ricardo dos Santos, quando de sua passagem pela presidência do Poder Legislativo onde o Palácio Visconde de Nácar servia de sede, hoje, o imóvel que foi sede do Governo da Província do Paraná no passado, poderia ter tido o mesmo destino do Centro Gastronômico conhecido como Ferradura.

Não sei quais os critérios que o IPHAN usou para fazer o tombamento da cidade, mas se fosse foi feita uma simples visita aos prédios históricos, certamente isso não teria acontecido.

Sozinho, mas com fé em Deus e na justiça


Desde maio de 2009 o JB tem sido a voz dos parnanguaras que não aceitam calado o engodo, a maquiagem e a prioridade questionável da administração pública em todas suas esferas. Em nossa cidade, sozinho e tendo apoio apenas de Deus, temos enfrentado poderosos e milionários, usando como escudo, fotos e documentos que comprovam nossas reportagens.

Mas por termos família e sabermos de nossas limitações diante do poder de alguns, temos sim medo de injustas represálias. Todavia acreditamos na justiça de Deus e também na dos homens para que possamos continuar nesta mesma linha editorial neste ano que se inicia.

Jamais entraremos no campo pessoal de quem quer que seja, até porque o jornalismo sério é feito de fatos e sempre respaldados por fotos e documentos. Torcemos para que aqueles que estão na vida pública tenham a consciência que estão sujeitos a críticas, cobranças e também elogios e mantenham a compostura que até o momento estão apresentando.

Assim sendo espero que em 2011 possamos continuar combatendo o bom combate tal qual o apóstolo Paulo dizia a respeito de sua missão, dada por Deus, como pregador do Evangelho.

No caso do JB é procurar falar a verdade, doa a quem doer.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

CPI do Porto resgata luta do PSDB vs PMDB

Logo, logo o time de futebol de Assembleia Legislativa, os 11 deputados que integram a CPI dos Portos estarão ancorando em nossa cidade para dar inicio as investigações das denuncias de supostas irregularidades das gestões dos governadores Requião e Pessuti, ambos do PMDB, mesmo partido do vice-presidente da república Michel Temer. Ou seja, está de volta a luta partidária entre as siglas mais fortes no país (PSDB x PMDB), juntamente com o PT da presidente Dilma. Vale dizer que a briga é oportuna, pois o PSDB detém, hoje, a delegação de um porto que é do PT que tem como vice-presidente, o PMDB. A conversa do fim da delegação (provocada pelo PSDB na gestão passada) não foi esquecida. Assim, o PT precisa só de um bom motivo para federalização. Esta CPI da Assembleia Legislativa pode ser a cereja do bolo do PT.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Parabéns, Coritiba!



Com uma campanha histórica, o Coritiba chegou pela primeira vez na final da Copa do Brasil em 2011, lutou, mas acabou não levando. Um momento que fica para marcado pela recuperação do Clube nos últimos anos, e que também serve de incentivo para provar que o Coxa conta com um grande elenco para brigar também pelo Brasileiro.

Com nove vitórias, um empate e apenas duas derrotas, a equipe coxa-branca encantou o país com seu futebol. Deixou marcado momentos memoráveis e a confiança de uma nação apaixonada que espera ver seu time ainda brilhar muito mais.

O foco no Brasileiro, que começa nesta semana, se volta ao jogo contra o Botafogo, no próximo domingo, no Rio de Janeiro. O próximo compromisso em casa será diante do Internacional, 18 de junho.

Parabéns Coritiba!