quarta-feira, 9 de março de 2011

Com Tortato passagem do ônibus seria R$ 1,90


Definida a passagem de ônibus de Curitiba em R$ 2,50, o mesmo preço da tarifa de nossa cidade, graças ao aumento de 19% concedido pelo prefeito José Baka Filho (PDT) no dia 28 de dezembro do ano passado, podemos afirmar que se o prefeito ainda fosse Carlos Tortato (PT) o valor da passagem, hoje, seria R$ 1,90.

E porque posso afirmar isso. Muito simples, ocorre que nos quatro anos de Tortato que vivi apenas o último (1996), fiquei sabendo como funcionou a questão da tarifa da Viação Rocio no seu mandato por uma fonte passível parcial.

Mas outra fonte, bem imparcial e daquelas que consideramos fidedigna, confirmou quase tudo o que já sabia, exceto pela afirmação Tortato manteve a tarifa de ônibus na cidade num percentual de 50% da passagem de Curitiba.

Essa minha fonte corrigiu esta porcentagem e garantiu que a média era foi de 25% do preço da passagem de Curitiba. Assim sendo, aplicando a matemática, hoje, a passagem na cidade seria de R$ 1,90 se a política de aumento feita por Tortato tivesse sido mantida.

Veja bem, R$ 1,90, menos que o valor que vinha sendo cobrado há dois anos. Naquele tempo esta política de aumento não quebrou a Viação Rocio e nem os estudantes precisaram fazer movimento na praça, no Terminal e na sessão da Câmara.

As demais informações foram todas confirmadas, como a iniciativa de Tortato que, assim que assumiu, revogou o último aumento da passagem concedido pelo ex-prefeito Vicente Elias e depois passou seu mandato autorizando aumentos baixos que mantivessem a tarifa no valor de 25% da passagem de Curitiba.

Em todos os aumentos concedidos, Tortato colocava junto a nova tarifa a relação das 10 passagens mais caras do Paraná, para mostrar a nossa era a mais baixa. Ele também tornava público o salário do motorista e cobrador.

Neste período, a empresa que era a mesma de hoje não quebrou, não fez demissões em massa, não deixou de comprar ônibus novos e o povo tinha uma passagem de ônibus de acordo com seu bolso.

E como disse se Tortato ainda fosse prefeito, a tarifa hoje seria de R$ 1,90, ou seja, 25% do preço praticado em Curitiba que ficou com o mesmo preço que a nossa, R$ 2,50, um aumento de 13,6%, enquanto que aqui o aumento foi de 19,05%. Uma vergonha.

Torno repetir a mesma pergunta que já fiz aqui no blog: se foi possível com Tortato porque não é nesta administração?

Nenhum comentário:

Postar um comentário