segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Cooperativa de VAN, alternativa contra passagem de R$ 2,50



Enquanto a majoração de impostos sugerida pelo prefeito José Baka Filho (PDT) como alternativa para redução da tarifa de transporte não acontece no Congresso Nacional, uma boa medida seria a adoção de VAN para o transporte coletivo de trabalhadores.

Solução encontrada e bem assimilada em São Paulo e Rio de Janeiro pela população para minimizar a demanda de passageiros não atendidas pelo transporte coletivo convencional. Lá Cooperativas de VAN atendem um grupo de trabalhadores e moradores que viram nesta modalidade uma opção de mais qualidade, conforto, praticidade e mais barata que o ônibus.

Com tanta gente trabalhando com VAN em nossa cidade, creio que não é difícil este pessoal se unir e constituir uma cooperativa. E interessados é que o não irão falta levando em conta a economia que isso proporcionará no orçamento familiar. Os números falam por si mesmo. Pegue lápis e papel e faça as contas.

Um trabalhador que usa ônibus quatro vezes de segunda a sexta-feira e duas no sábado coloca nos cofres da Viação Rocio R$ 220,00 por mês. Uma VAN cobra, em média, R$ 150,00 por mês de um estudante que presta curso no Instituto Federal Tecnológico de Paranaguá (IFEP). Porém, existe lugar para 15 pessoas numa VAN e, num contrato coletivo, o preço pode baixar para R$ 100,00.

Uma economia de R$ 120,00 em relação ao ônibus, mas com a vantagem de ser entregue em casa e não precisar ficar naquele pontinho que não protege ninguém em dias de chuva e de sol. Penso que é uma iniciativa que precisa ser considerada e discutida pelo proprietários de VAN da cidade. Até porque pode ser a primeira arma contra o monopólio do transporte coletivo na cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário