terça-feira, 30 de novembro de 2010

Maria Celia faltou com a verdade na rádio



Até entendo a atitude de secretários e comissionados em defender o cargo e o prefeito José Baka Filho (PDT) acima de tudo. Afinal é a grana de sua sobrevivência que está em jogo. Mas mentir já é um pouco de exagero ou, mais ainda, desespero de causa.

No sábado depois de dois anos e meio da grana depositada na conta da prefeitura, as barracas da Feirinha da Catedral foram entregues pela secretária de Agricultura, Pesca e Abastecimento Maria Célia que, por sinal, estava radiante e felicíssima.

Na sua entrevista para o JB ela foi coerente e disse que a entrega precisava ser realizada por causa do investimento público do Governo Federal e Prefeitura. Isso no sábado. Mas na segunda-feira na rádio Litoral Sul FM ela já tinha esquecido esta parceria e disse que a grana tinha sido só da prefeitura. Um absurdo.

Até porque a prefeitura entrou apenas com R$ 20 mil, enquanto que a grana depositada em maio de 2008 do Governo Federal foi R$ 195 mil, totalizando R$ 215 mil para compra das barracas. Grana essa obtida pelo então vereador Arnaldo Maranhão que também foi esquecido por Maria Célia na Litoral Sul FM.

Só que Maranhão foi a rádio ontem e fez questão de desmascarar a secretaria e deu crédito a quem devia, no caso ao ex-ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, que viabilizou a verba a seu pedido ainda na condição de vereador.

Coisa feia,muito feia mesmo. Isto sem dizer que Maria Célia também não informou em sua reportagem o que foi feito do restante deste recurso de R$ 215 mil, já que cada barraca custou R$ 2.480,00 totalizando R$ 124 mil.

Onde estão os R$ 91 mil que sobraram?

Com a palavra a secretária Maria ou o prefeito Baka.

Um diferente ladrão na prefeitura

E não que um ladrão diferente atacou a prefeitura na semana passada? Isso mesmo. Não um ladrão comum daqueles atrás de objetos de valores fáceis de transformar em dinheiro. O ladrão diferente entrou justamente no Departamento Jurídico e do de IPTU para praticar sua ação. O que levou? Não sei. A coisa não vazou para imprensa com maiores detalhes.

Mas se analisarmos bem a coisa, esta ocorrência fica ainda mais suspeita. Afinal, tem os guardas municipais que fazem a segurança do prédio e toda dificuldade de entrar nos departamentos que, certamente, dever ficar fechados com chave.

Vale dizer que ladrão na prefeitura não é novidade. Já andaram entrando na Secretaria de Educação, na Cagepar, na Saúde, já andou sumindo coisas da Provopar que rolou até um Big Brother na época. E por aí afora. Engraçado que em todos esses casos ninguém foi descoberto e os que foram, não se aplicou a lei.

Mas a grande pergunta que se faz é; em que este ladrão estava realmente interessado? E o que levou? Infelizmente será outro mistério que vai ficar apenas para livro dos “Contos dos barnabés” que este blogueiro começou escrever.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Prefeito Baka evita o fiasco de Carnaval 2011




Para quem está acostumado a ver críticas e cobranças contra o prefeito José Baka Filho (PDT) neste espaço, hoje, vai se surpreender, porque verá um elogio e sincero.
Quando uma decisão da Associação das Escolas de Samba de Paranaguá (AESP),obtida com os votos favoráveis dos presidentes Fabiano (Filhos da Gaviões), Irajá (Império do Irajá), Roselinda (União da Ilha), Dona Milene (Acadêmicos do Litoral) e Dicesar (Leão da Estradinha) colocou em risco a qualidade do carnaval de 2011, confesso fiquei preocupado. Vi a coisa como um golpe.

Golpe no sentido de por fim a competitividade e cada qual trazer para Avenida do Samba a escola da forma eu melhor achasse. Não teria nada a temer sem rebaixamento. E assim vexames como os já protagonizados por Menino Fininho e Junqueira poderiam aumentar.

Foi esta minha preocupação e das quatro escolas que votaram contra o fim dos grupos. Mas felizmente, o prefeito Baka teve uma atitude forte e coerente e fez valer a autoridade de quem garante a grana pública para as escolas e manteve os grupos de acesso.

Com isso evitou o golpe furado e garantiu que o carnaval de 2011 se tornasse num fiasco. E por não ser esta uma das obrigações inerente ao seu cargo é justo parabenizá-lo pela atitude. Porque se fosse, estaria apenas fazendo o que lhe era devido. Gostei disto e por isso faço este registro inédito no blog.

Sinalização até em rua de terra



Suspeito, mas muito suspeito mesmo, o edital de aviso de pregão (foto) que a prefeitura de Paranaguá publicou nesta terça-feira. Nele a contratação de uma empresa para fazer sinalização vertical e horizontal na cidade. Até aí nada de mais. Mas ao observar o valor do contrato é que vem a surpresa; a bagatela de R$ 4.817.40,00.

É mole! Quase cinco milhões de tinta é tinta para não se botar defeito. Com toda essa grana vai dar até para sinalizar ruas de terra de nossa cidade, inclusive as de Alexandra, das Colônias e até das ilhas de nossa cidade. Não sei não, mas deve sobrar até uma tinta para pintar o trajeto da balsa no Rio Itiberê. É muita grana.

Isso sem dizer que não existe como checar com muita propriedade (como gosta de falar o vereador Rafinha) a aplicação destes recursos. Além do mais, com tanta coisa para ser feita na cidade em áreas mais essenciais como saúde, gastar cinco milhões com tinta chega ser um desatino administrativo.

Coincidentemente este pregão surge a tona logo após o retorno do prefeito de Brasilia, o que deixa a coisa mais intrigante ainda. Portanto, peço as vereadores que tem como função principal fiscalizar os gastos do Executivo que se atenham para esta situação.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Carnaval de Paranaguá em 2011 será um fiasco


A decisão da Associação das Escolas de Samba de Paranaguá (AESP),obtida com os votos favoráveis dos presidentes Fabiano (Filhos da Gaviões), Irajá (Império do Irajá), Roselinda (União da Ilha), Dona Milene (Acadêmicos do Litoral) e Dicesar (Leão da Estradinha) colocou em risco a qualidade do carnaval de 2011.

A decisão de acabar com os grupos, I e II, tirou da Avenida do Samba o espírito de disputa e, com ele, a responsabilidade de mostrar um bom carnaval. Para que investir num desfile impecável se isto não valerá absolutamente nada? Quem trouxe um desfile ridículo como o Menino Fininho, por duas vezes, nada acontecerá.

Isto sem falar na grana pública que garante colocação da escola na Avenida do Samba para alguns. Não será surpresa ver escolas que ganharam R$ 10 ou R$ 20 mil mostrar um desfile de R$ 5 mil, como já vimos algumas vezes no passado.

Amanhã os presidentes que fazem parte da AESP têm reunião com o prefeito José Baka Filho para discutirem carnaval. Pelo pouco que conheço o prefeito penso que ele gosta de carnaval, algumas vezes até saiu em nossa escola (foto), a Mocidade Unida do Jardim Santa Rosa, ao lado da esposa Jozaine, e certamente quer um bom carnaval.

E como caberá a ele dar a grana, deve e precisar cobrar um bom e total uso da verba na escola. Assim sendo ninguém melhor que o prefeito para mudar esta situação tendo como argumento o melhor para o carnaval, para cidade e a população.

A menos, é claro, que o prefeito não faça questão de manter a tradição dos últimos carnavais que repercutiram muito bem em todo o Paraná.

Leia amanhã no JB

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Aprovado orçamento para 2011 - O que é prioridade?


Os vereadores aprovaram, hoje, em primeira discussão o Orçamento de 2011 enviado pela prefeitura de Paranaguá.

Estou com o orçamento em mãos e fiquei decepcionado e surpreso com alguns números do que foi considerado prioridade pelo prefeito José Baka Filho na distribuição dos recursos públicos.

Não sou expert em administração pública, mas vendo alguns valores direcionados para determinadas rubricas comecei entender com mais profundidade o sentido da palavra injustiça social.

Acompanhe alguns números:

Para administração do gabinete do prefeito foi destinado R$ 2.846.100,00.
Enquanto que para o do vice-prefeito R$ 358.200,00.

Foi destinada para Secretaria Municipal Antidrogas, a mixaria de R$ 10.000,00. Ou seja, R$ 833,00 por mês.Enquanto que para gastar com comunicação (matérias da prefeitura na imprensa) foi destinada R$ 1.253.000,00. Ou seja, R$ 104.416,00 por mês.

Essa “bagatela” destinada para comunicação de R$ 1.253.000,00
é pouca coisa menor que todo recurso destinado para segurança que é de R$ 1.626.000,00. Uma diferença de apenas R$ 373.000,00.

NÚMEROS INTRIGANTES

Foi destinado para o atendimento a criança e adolescente a mixaria de R$ 68.600,00;
Para o Programa Renovar o Idoso a mixaria de R$ 13.000,00
E para o Apoio a população indígena a “bagatela” R$ 230.100,00

VOCÊ SABIA QUE

Os R$ 1.253.000,00 da comunicação é mais que:

1. R$ 13.000,00 dos Idosos
2. R$ 68.600,00 das crianças e adolescentes
3. R$ 10.000,00 da Secretaria Antidroga
4. R$ 3.000,00 da Corregedoria da Guarda Municipal
5. R$ 355.000,00 da Defesa Civil
6. R$ 50.500,00 do Vovô e Vovô Sabe Tudo
7. R$ 186.900,00 do Apoio ao Portador de Deficiência
8. R$ 155.100,00 do Apoio as entidades de assistência ao Idoso
9. R$ 25.800,00 da Chácara Recanto da Vida
10. R$ 88.000,00 do Bolsa Família
11. R$ 7.000,00 do Centro de Apoio Psicossocial
12. R$ 9.000,00 do Proteção e benefícios ao trabalhador
13. R$ 63.100,00 do Caminhos da Profissão
14. R$ 17.000,00 da Administração do CAIC
15. R$ 30.000,00 do I.H.G.P.
16. R$ 30.000,00 do Museu da Imagem e do Som (MIS)
17. R$ 12.000,00 da Defensoria Pública
18. R$ 7.000,00 da Defesa dos Direitos do Consumidor
19. R$ 14.000,00 da Atividades das Colônias
20. R$ 21.000,00 da Atividades de Alexandra
21. R$ 12.000,00 do PETI
22. R$ 151.000,00 das Entidades de Assistência a Infância
23. R$ 14.000,00 dos Adolescentes em Conflito com a Lei
24. R$ 19.000,00 da Vigilância sanitária e epidemiológica

Todos esses 24 destinos de recursos somam R$ 1.251.000,00. Ou seja, R$ 2 mil a menos que toda grana que será gasta para divulgar nos jornais, rádios e TV (inclusive rede estadual e nacional) as ações da prefeitura durante todo o ano de 2011.

Deixo apenas uma pergunta: qual critério de prioridade?

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Rio Branco está igual a culpa


E não é que a maior paixão esportiva do parnanguara, o Leão da Estradinha, está igualzinho a culpa; ninguém quer assumir. Isso mesmo.

Faltando um dia para encerrar o prazo para inscrições de chapas para eleição da nova diretoria e ouvi, hoje, o grande repórter e comentário esportivo, Valdinei Garcia dizer que nenhuma chapa está inscrita para eleição. Incrível.

O Rio Branco SC que já elegeu prefeito e vereadores, fez muita chorar, sorrir, brigar, ir preso e coisa do gênero, está desprezado e abandonado pelos políticos e dirigentes esportivos da cidade.

Isto sem dizer quem um patrimônio do tamanho e da importância do Nelson medrado Dias está jogado as traças, sem manutenção, pintura e nenhum utilidade, senão para uns poucos treinos.

Não sou comentário esportivo, mas também não sou cego e nem alienado e qualquer um vê que nem prefeito, nem o atual presidente e ninguém está se importando como querido Leão da Estradinha.

E isso não é de hoje.

Fico imaginando a dor que um José Carlos Possas, Vivi, Frisoli, devem estar sentindo de ver o Rio Branco neste estado. E para quem já se perguntou por que eles não fazem algo, respondo por todos eles; já fizeram e muito.

Não fossem eles, o Rio Branco SC nem estaria onde está hoje. E não acho justo eles se tornarem, novamente, tábua de salvação. O filho já está criado é maior de idade e os que se beneficiam dele que tratem de cuidar.