quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Servidores rejeitam R$ 40 mil da prefeitura e aprovam R$ 150 mil



Reunidos em Assembleia Geral Extraordinária na última quinta-feira (26) no auditório do antigo Sindicato dos Ensacadores de Paranaguá, servidores da prefeitura de Paranaguá rejeitaram a proposta de um parcelamento inicial de R$ 40 mil para o pagamento do processo 1062/1994 do Plano de Cargos e Salários (PCS) que condenou a prefeitura ao pagamento de R$ 2.860.000,00.

O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Paranaguá (Sismup), Rogério José Lisboa, repassou à categoria a posição do prefeito José Baka Filho (PDT) que disse na última audiência com o juiz do trabalho entre prefeitura e o Sismup, que se ocorresse o pagamento do ISS pelo porto, o valor do parcelamento inicial de R$ 40 mil poderia ser aumentada.

O que acabou ocorrendo. Assim de forma unânime os servidores que representaram na Assembleia os 779 envolvidos no processo 1062/1994, não aceitaram os R$ 40 mil e propuseram um parcelamento de R$ 150 mil mensais, fazendo com que a dívida possa ser quitada ainda dentro da gestão do atual prefeito nos próximos dois anos.

Para o presidente Lisboa a proposta se tornou boa para ambos os lados, a categoria que vai receber o que lhe é devido em dois anos e para prefeitura que dos R$ 250 mil mensais que receberá do porto pelo pagamento do ISS ainda sobrarão R$ 100 mil de um dinheiro que os cofres da prefeitura não contavam.

“E não estamos falando da boa vontade do porto em viabilizar o pagamento dos impostos atrasados dos últimos cinco anos com a prefeitura”, disse Lisboa. Hoje, o Sismup e a prefeitura voltam a mesa de negociação com o juiz do trabalho para selarem a forma de pagamento da ação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário