quinta-feira, 26 de agosto de 2010

A aventura Fusion de Tucano




Muita gente sabe que o ex-vereador Tucano está de carro zerado, um lindo For Fusion prata, o que é mais do que merecido pelo que o moço já trabalhou e ainda na trabalha em sua vida. Mas o que poucos sabem é enorme aventura que ele viveu no dia da compra.

Sei que ele vai ficar bravo comigo e, ao mesmo tempo, curioso ara saber como descobri essa comédia americana vivida por Tucano.
Mas vamos aos fatos.

Ocorre que Tucano contava com uma boa avaliação do seu carro antigo para dar entrada no Fusion e financiar o restante. Negociação prévia definida com o vendedor da concessionária, lá vai Tucano com mais dois amigos para Curitiba. Ele na boleia e os colegas de carona, um deles, sindicalista de peso na Estiva.

A certa altura da subida de serra os caronas notam um ruído estanho no carro e Tucano mandando ver no acelerador, pensava que era Felipe Massa. Os amigos alertaram e pediram que diminuísse a velocidade, pois o carro apresentava uns barulhos. “Que nada” dizia Tucano e toma velocidade. E não deu outra.

O carro deu um estouro e perdeu o controle, mas Tucano mostrou que é bom de braço dominou o carro e encostou. Quando olharam para traz, viram um rastro de óleo no asfalto. “Danou-se”, disse o estivador e cantou a bola, o motor travou e fundiu. Tucano teimoso como sempre discordou e disse que não tinha sido nada.

Por sorte a Ecovia chegou rápido, viu o motor, testou e sentenciou: “quebrou a correia dentada e o motor fundiu” . Tucano com aquela fineza que lhe é característica disparou: “você não é mecânico nem aqui nem na China, fundiu coisa nenhuma”.

O fechou a cara e disse “vou rebocar o carro, entrem nele que vou levá-los até um posto” . Como fazia um frio danado Tucano quis ir dentro do caminhão, mas o mecânico que não era nem da China não deixou e mandou todo mundo ir rebocado dentro do carro.

Foi aí que Tucano achou uma única vantagem nesta primeira desgraça: “pelo menos não vamos pagar pedágio”. Foi ele falar isso que a mulher do pedágio gritava lá de fora para Tucano: “são R$ 12,70”. Era o pedágio sendo cobrado.
Minutos depois a Ecovia pára e o grupo pensa, chegamos em Curitiba. Que nada era o fim da linha para eles, posto Paris na entrada da Capital.

Abandonados no posto de gasolina, com frio, carro que iria ser dado de entrada com o motor fundido e sem como chegar na concessionária.

Neste momento Tucano dá a péssima noticia ao vendedor da concessionária sobre o carro e pede que ele mande um reboque vir buscá-los. O vendedor irado com a notícia diz para ele se virar que não iria mandar ninguém buscar um carro quebrado para dar de entrada num Fusion.

Foi aí que conseguiram um telefone de um reboque e chamaram para levá-los na concessionária. Foi aí que chega um caminhão todo remendado de Durepox e que certamente foi usado para rebocar o 14 Bis de Santos Dumont depois que ele caiu.

Com um medo danado lá foram eles de volta rebocados até a concessionária. Para encerrar a história Tucano que saiu de Paranaguá pensando em pegar R$ 15 mil pelo seu carro fundido, acabou deixando por R$ 3 mil e um fardinho de cerveja.

Mas que ele voltou com o Fusion ele voltou. Só não voltou dirigindo depois de procurar o pedal de embreagem e não o encontrar. O Fusion é hidramático e Tucano não sabia pilotar.



AJUDE ESTE JORNALISTA MANTER ATUALIZADO O BLOG,
ANTES DE SAIR CLIQUE NUM DOS COMERCIAIS. OBRIGADO

Nenhum comentário:

Postar um comentário