segunda-feira, 24 de maio de 2010

Sindicalista usado na campanha de 2006 nunca foi filiado ao PDT


Sem nenhum presidente sindicalista da orla marítima para recepcionar o então candidato ao governo do Estado, Osmar Dias (PDT), na campanha de 2006, o prefeito José Baka Filho (PDT) recorreu ao então delegado representante da Fenccovib, o conferente Aroldo Bandeira Ribas, para aderir à campanha de Osmar Dias e do candidato pedetista a deputado federal, Luiz Renato Rodrigues da Cunha.

Um desentendimento entre Ribas e o deputado federal Vicentinho (PT), pela indiferença do parlamentar paulista na luta dos interesses do trabalhador portuário avulso (tpas) já tinha desmotivado o sindicalista de permanecer no PT. Esta situação contribuição para Ribas aderisse à campanha. Ele impôs que Luiz Renato e Osmar Dias abraçassem as causas dos avulsos.

Todavia, Ribas, impõe a condição de só tornar público o apoio depois de sua filiação no PDT, uma vez que ainda estava filiado ao PT. Interessado na adesão de Ribas, o prefeito José Baka Filho providenciou a desfiliação do PT e consequente filiação no PDT e, para isso, determinou seus assessores que tomassem essas providências. E assim, supostamente, foi feito e Ribas foi informado pelo prefeito que já estava filiado ao PDT e poderia assumir o apoio publicamente.

Confiando na palavra do prefeito Baka, o sindicalista entrou na campanha e conseguiu votos importantes tanto para Osmar Dias como Luiz Renato. Passada a eleição, Ribas, através de intermediação do prefeito Baka, Ribas se tornou assessor especial sindical honorário do deputado federal Barbosa Neto (PDT), hoje prefeito de Londrina. Depois assumiu um cargo no gabinete do prefeito Baka por pouco mais de um ano.

Neste período acompanhou o prefeito e demais sindicalistas em encontros com o Ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi (foto), superintendente Regional do Trabalho, João Graça entre outros eventos do PDT. Chegou ser convidado pelo prefeito para ser membro do Movimento Nacional Sindical do PDT, do qual Baka faz parte da diretoria.

A mentira veio a tona


Com trânsito em Brasília, muito tempo antes de se envolver na política partidária, em razão do seu profundo conhecimento da Lei de Modernização dos Portos (8630/93), Ribas sempre defendeu os trabalhadores ao longo de sua militância sindical. Em razão disto, trabalhadores e lideranças das diversas bases sindicais pediram que lançasse seu nome para disputa de uma cadeira na Câmara Federal.

Depois de consultar o prefeito Baka e ganhar dele o apoio nesta jornada, Ribas passou conversar com os trabalhadores sobre sua nova empreitada. Porém, na semana passada, durante a reunião semanal do PDT foi descoberto que o nome do sindicalista não constava entre os filiados do partido.

Na checagem foi constatado que Ribas, jamais foi filiado ao PDT e ainda pertence as fileiras do PT e o sindicalista não poderá disputar a convenção municipal e tampouco a vaga a deputado federal pelo PDT.
Feito contato com o ex-presidente do PT, hoje, filiado ao PV, Marco Escumação, o Sukita, e este confirmou que assessores do prefeito procuraram para fazer a desfiliação de Ribas do PT. Ele afirma que assinou a documentação necessária para que os mesmos dessem prosseguimento no processo. Pouco tempo depois Sukita deixou a presidência do PT.


AJUDE ESTE JORNALISTA MANTER ATUALIZADO ESTE BLOG E, ANTES DE SAIR, CLIQUE EM UM DOS COMERCIAIS.



Nenhum comentário:

Postar um comentário