segunda-feira, 10 de maio de 2010

O trabalhismo ficou apenas no discurso!




“Estou pensando em criar um vergonhódromo para políticos sem-vergonha, que ao verem a chance de chegar ao poder esquecem os compromissos com o povo”.

A frase polêmica é do ex-presidente nacional do PDT, o saudoso Leonel Brizola (foto) que sempre defendeu o trabalhismo e a democracia na política. Até parece que ele profetizou as ações de muitos dos seus filiados no futuro e, agora, as coisas começam respaldar esta frase.

Semana passada um grupo de servidores que atuam na área da saúde levou um abaixo-assinado com mais de 600 assinaturas e uma carta intitulada “pelos nossos direitos” para ser lida no plenário do Palácio Carijó.

Nela, vereadores, imprensa e público presente tomaram conhecimento da precária situação destes profissionais responsáveis em nos dar alento e atendimento em nossos piores momentos, os que envolvem doença e sofrimento.

Na carta os servidores da saúde cobram desde o achatamento salarial da categoria até direitos trabalhistas obrigatórios como o pagamento de horas extras aos domingos feriados e dinheiro de volta das férias.

Reivindicações que não seria necessário se humilhar aos vereadores levando em conta que eles vivem uma administração pedetista, sob a bandeira do grande político Leonel Brizola.

Onde está o trabalhismo quando um servidor pede que se pague o salário dentro do mês? Ou que se pague pela hora-extra trabalhada?

Isso não pode ser considerada uma manifestação politiqueira, apenas a cobrança da aplicação das leis trabalhistas instituídas.

Cansados de esperar, eles alertam, se nada for feito, vão às ruas já que em nossa cidade ainda não existe nenhum vergonhódromo.

AJUDE ESTE JORNALISTA MANTER ATUALIZADO ESTE BLOG E, ANTES DE SAIR, CLIQUE EM UM DOS COMERCIAIS. OBRIGADO

Nenhum comentário:

Postar um comentário