quarta-feira, 28 de abril de 2010

Jô sairá mesmo para federal?



Sempre considerei e anda considero a primeira-dama Jô Baka uma mulher competente e por demais inteligente. Pode até ser ingênua e sem muito conhecimento de política partidária. Por isso, entendo que os boatos que dão conta que ela não sairá para uma disputa para Câmara Federal são bastante coerentes.

Assim sendo da mesma forma que analiso as chances de Jô Baka no PDT, ela certamente já analisou e com mais propriedade por ser do partido. Então vejamos;

Temos um colégio eleitoral de pouco mais de 95 mil eleitores, dos quais 20% votarão para candidatos de outras cidades, restando cerca de 74 mil votos para os candidatos locais. Agora façamos uma pausa e lembremo-nos que na última eleição o PDT conseguiu eleger apenas o Barbosa Neto com 132.674 votos. E isto porque estava numa coligação com o PTB onde Alex Canziani fez 111.472 votos e ajudou a eleger os dois.

A segunda maior votação do partido foi do Professor Picler que fez uma miséria de votos 36.820, quase 100 mil a menos que Barbosa Neto que, com a vitória de Barbosa Neto na prefeitura de Londrina, fez dele deputado federal

Este ano o PDT terá mais dificuldade para eleger um candidato e reeleger o Professor Picler, porque não terá mais os 132 mil votos de Barbosa Neto e de nenhum outro com média de 100, 80, 70, 60, 50, 40 mil votos. Afinal Picler fez pouco mais de 30 mil e não se elegeu. Quem fará os votos necessários para legenda do PDT? Jô Baka? Até porque Luiz Renato também não dará, novamente, seus quase 20 mil votos.

Voltando para nossa realidade, nem mesmo que Jô Baka consiga, sozinha, todos os 74 mil votos que restaram para os candidatos da cidade, ela será eleita. E temos ainda a possibilidade destes 74 mil votos serem divididos por mais dois ou três candidatos locais.

Nesta altura já tem gente questionando; mas têm os votos das outras cidades do litoral e das demais cidades do Paraná. Muito bem só que Tomazina (cidade de Jô Baka), por exemplo, tem um colégio eleitoral de 6.491 eleitores. E ela não possui um trabalho regional para captar votos do litoral e quanto ao restante do Paraná não posso dizer nada.

Assim sendo é utopia achar que Jô Baka tem alguma chance de se eleger para Câmara Federal pelo PDT, a menos, que isto seja uma estrategia para fazer Ricardo ou Fabiano desistirem de suas candidaturas para favorecer seu possível candidato a deputado federal, no caso Waldir Leite (PSC). E aí ela disputaria uma vaga para Assembleia Legislativa onde a dificuldade será, apenas, um pouco menor.

Para Assembleia ela vai disputar com quatro deputado que buscam reeleição, no caso Neivo Beraldin (30.575), Augustinho Zucchi (67.760), Fernando Scanavaca (30.718) e Luis Carlos Martins (54.520), destes quem fez menos votos passou dos 30 mil. Nesta briga ela disputaria a quinta vaga, casos todos consigam se reeleger e aí sim, existem votos o suficiente dentro do nosso colégio eleitoral, apesar das diversas candidaturas e dos que vem de fora.

Concluindo assim como analisei a chance de Jô Baka baseado em números, ela, como boa engenheira que é, também deve ter analisado e esta história de candidatura federal, se for séria, é pura perda de tempo (mas com uma boa captação de grana). A menos, que ela esteja fazendo balão de ensaio para as eleições de 2012. O que não é nada impossível.


AJUDE ESTE JORNALISTA MANTER ATUALIZADO ESTE BLOG E, ANTES DE SAIR, CLIQUE EM UM DOS COMERCIAIS. OBRIGADO

Nenhum comentário:

Postar um comentário