segunda-feira, 29 de março de 2010

Desperdício do voto útil!



O bairrismo é um sentimento em extinção em nosso país e, com mais celeridade, em nossa tricentenária cidade. As pessoas que mais deveriam transbordar deste sentimento, os detentores de mandato, são justamente os mais escassos e, pior, usam dele para discursos demagógicos e interesseiros.

Neste ano de eleições gerais e de pouca densidade eleitoral para muitos dos 24 nomes sugeridos pelos presidentes partidários na série “Eleições 2010”, o discurso pelo voto útil vai ecoar pelos quatro cantos da cidade.

Já fiz coro para este discurso demagógico e interesseiro de alguns, mas hoje não vale a pena vestir esta camisa e tampouco defender esta bandeira.

Afinal, se o discurso tivesse praticidade de quem ecoa, eles mesmos, tratariam de ajudar investindo num consenso de candidaturas. Porque 24 nomes quando poderia ser apenas dois para Assembleia e dois para Câmara Federal?

O discurso do voto útil saído da boca dos políticos é a defesa explícita de um jargão bem conhecido nos corredores da política parnanguara “farinha pouca meu pirão primeiro”.

De certa, vejo o voto útil como um desperdício de representatividade. Afinal, pudemos acompanhar o trabalho dos deputados federais Alex Canziani e Gustavo Fruet pela nossa cidade.

Não sendo eles de nossa região, nem por isso deixaram de viabilizar obras e recursos do governo Federal para nossa cidade e litoral.

É preciso tirar a máscara de alguns pré-candidatos que discursam em prol de si mesmo e criticam aqueles que pretendem trabalhar por quem realmente possui chances de eleição.

Enquanto os políticos não se unirem, nenhum deles têm o direito de cobrar o voto útil da população que tanto precisa de representatividade.



Nenhum comentário:

Postar um comentário