sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Função gratificada versus assessorias especiais

Fazendo uns cálculos (e olhe que matemática não é meu forte)comprovei que a troca das 120 funções gratificadas pelas assessorias especiais resultaria numa economia bem maior para os cofres da prefeitura. Acompanhe meu raciocínio;

Se o prefeito Baka acabasse com as desnecessárias assessorias especiais como a Coordenadoria Especial Assuntos Portuários(1), Assessoria Especial de Gabinete(2), Coordenadoria de Projetos de Ações Ambientais(3), Administração da Ilha do Mel(4), Administração do Itiberê (5), Administração da Vila Bela (6) e Administração do Sete de Setembro(7)veja o que representaria isso em números.

Juntas, elas devem devem somar algo em torno de R$ 24 mil por mês, totalizando R$ 288 mil ao ano e R$ 864 mil até o final da gestão.

Por sua vez as 120 funções gratificadas que custam R$ 130 mensais por servidor, juntas, somam R$ 15,6 mil por mês, totalizando R$ 187,2 mil ao ano e R$ 561,6 mil até o final da gestão,

Ou seja, uma economia de R$ 302,4 mil aos cofres da prefeitura. O problema é que prioridade tem tudo a ver com a política da "boa vizinhança" partidária.

Caso minha matemática esteja furada, aceito postagens com as devidas correções.

Nenhum comentário:

Postar um comentário